DSC02292

Diário do Quintal – Beldroega

DSC02292

 

 

 

 

Beldroega

06/05/2015

“Alegria é de manhã ter chovido de noite!”

Começo nossa história de hoje com essa frase retirada do poema “Mundo Renovado” do nosso passarinho que virou árvore Manoel de Barros.

A horta amanheceu feliz por causa da chuva que caiu essa noite, o solo encharcado com cheiro de vida faz algumas plantas florescerem bastante quando a água penetra em suas raízes.
Uma dessas plantas, considerada também uma PANC, é a Beldroega (Talinum triangulare), parente muito próxima da chamada Maria-Gorda ou João Gomes (Talinum paniculatum).

Ela brota em qualquer fresta de concreto e em todos os cantinhos da horta. Suas folhas contém proteína vegetal, além de ferro, cálcio, magnésio e potássio.
Suas flores rosadas são muito visitadas pelas abelhas Jataí e Iraí, que moram no Quintal. Os frutos gerados pela Beldroega, são bolinhas amarelas e quando apertados fazem voar centenas de minúsculas sementes. Suas folhas podem ser consumidas frescas em saladas e refogadas em molhos, sopas e outros pratos, e complementam assim, nossas saborosas refeições aqui no Tear.

Em homenagem a essa planta, que representa uma força da natureza e que possui uma delicadeza de conversar com as abelhas todas as manhãs, carrego seu nome comigo para que eu também seja nutrido de alegria, força e resistência.

O Jardineiro Beldroega.

Esse post foi publicado originalmente na nossa página do facebook:  https://www.facebook.com/institutotear

navegue no astrolábio