circulo_agenda-03

Círculo da Infância 2017

Seminário sobre o universo multicultural da infância brasileira

LUGAR BRINCANTE À LUZ DA POÉTICA DA INFÂNCIA

 

O Círculo da Infância é um encontro que congrega educadores para vivenciar e refletir sobre as relações entre infância, brincadeira, arte, cultura e natureza.

As crianças inventando e ocupando seus lugares no mundo  será o tema que irá tecer as rodas de conversa, as rodas de brincar e de histórias, iluminando compreensões sobre a importância de fazer dos lugares da infância, terreiros de encantamentos, de intimidade, liberdade e reinvenções.

Este ano, o Círculo da Infância conta as presenças de Mestres Pesquisadores Brincantes da Cultura da Infância: Gabriela Romeu (SP), Roquinho (MG), Nayana Brettas (SP).

 

círculodainfancia2017-72dpi

22 de setembro de 18 às 21h e 23 de setembro de 9h às 18h

Local: Sede do Tear – Rua Pereira Nunes, 138, Tijuca

Público: professores e profissionais de creches, escolas, ONGs, Pontos e Pontinhos de Cultura, Centros Culturais, salas de leitura e brinquedotecas, além de público em geral interessado na cultura da infância e na cultura brincante.

 

LUGAR BRINCANTE À LUZ DA POÉTICA DA INFÂNCIA –

LUGARES TERREIROS, DE ENCONTRO E INTIMIDADE,

DE PERTENCIMENTO E LIBERDADE,

DE ENCANTAMENTO, REINVENÇÕES E SUPRAVIVÊNCIA.

PARA SE INSCREVER CLIQUE AQUI

PROGRAMAÇÃO

SEXTA FEIRA (22/09 – 18h às 21h):

APRESENTAÇÃO DO FILME: TERREIROS DO BRINCAR – mediação Gabriela Romeu

SINOPSE: O filme retrata a participação de crianças em vários grupos de manifestações populares em quatro Estados brasileiros, e a sua relação com um brincar coletivo, inter-geracional e sagrado. DIRIGIDO POR DAVID REEKS E RENATA MEIRELLES

RODA DE JONGO no Terreiro de São Pedro – convidada especial: Griô Maria de Fátima da Silveira Santos, a Fatinha do Grupo Jongo de Pinheiral

SÁBADO (23/09 – 9h às 18h):

Manhã:

RODA DE BRINCAR com Roquinho

INFANGRAFIAS com Gabriela Romeu (SP): O trabalho de campo com crianças; etnografias poéticas; exercício de ouvir e olhar as infâncias; percursos de diálogo e registro. Dinâmica – Caderneta etnográfica.

RODA DE CONVERSA com Nayana Brettas (SP): Cidades brincantes pela voz das crianças. Nayana é criadora do movimento do movimento CriaCidade.

Tarde:

MENIN@MESTRES com Roquinho (MG): Lugar da criança nas festas, rituais e terreiros.

Da Brincadeira à Arte – A Casa Cultural Atrás do Pano (MG) Brinca no Quintal do Tear e fala sobre suas experiências –

OFICINAS BRINCANTES: Mutirão de preparação para a grande Manifestação da Cultura Brincante

Cortejo para a FESTANÇA

CONVIDADOS CONFIRMADOS

Roquinho (MG):

Roquinho

Roque Antonio Soares Junior é brincante, observador da Cultura da Infância (Brinquedos e Brincadeiras tradicionais da infância brasileira) e Membro Fundador da “Carretel”, um organismo empresarial empenhado nas questões ligadas à Educação, Cultura da Criança e Cultura Brasileira.

Desenvolve ao longo dos últimos 20 anos práticas e reflexões acerca do Brincar como traço elementar da Cultura e Identidade de um povo e sobre a importância do Brincar para a plenitude do desenvolvimento humano. Membro do Grupo Atrás do Pano (https://www.facebook.com/atrasdo.pano/).

assista aqui à entrevista de Roquinho ao Tear

 

Gabriela Romeu (SP):

GabrielaRomeu

 

 

 

 

 

 

 

 

Há 15 anos escreve sobre e para crianças no jornal Folha de S.Paulo, onde editou o caderno Folhinha e coordenou projetos como o Mapa do Brincar.

Produz livros, filmes e exposições para crianças. Participou da realização do filme Disque Quilombola, vencedor de prêmios no Fici (Festival Internacional de Cinema Infantil). É coautora dos livros Tutu-Moringa – A História que Tataravó Contou (Companhia das Letrinhas) e Manual da Criança Huni Kuin (Tecendo Saberes).

Das andanças do Projeto Infâncias, com Marlene Peret, resultaram a publicação de uma série de reportagens sobre os quintais do Brasil, o filme Meninos e Reis e o livro Terra de Cabinha (editora Peirópolis).

 

Nayana Brettas (SP):

????????????????????????????????????

No ano de 2004 desenvolveu trabalho com as comunidades ribeirinhas da Amazônia com a Associação Vaga Lume, e já em 2007 fez seu mestrado em Portugal com o foco em Sociologia da Infância pela Universidade do Minho, cujo trabalho final fora a dissertação “A Cidade (Re)criada pelo Imaginário e Cultura Lúdica das Crianças”, sob orientação do renomado professor Manuel Jacinto Sarmento.

Em 2010, percorreu o Brasil implantando o Projeto Biblioteca para Primeira Infância por meio do Instituto Brasil Leitor em mais de setenta escolas, e depois, em 2014, foi para Brasília a convite do professor Vital Didonet e da Secretaria da Criança para escutar as crianças com o objetivo de elaborar a política pública de primeira infância que resultou no Plano Distrital pela Primeira Infância.

Neste mesmo ano, fundou a CriaCidade para realizar o Projeto Criança Fala, que teve como missão ocupar, projetar e transformar cidades com as crianças. Em 2017 transformou o Projeto Criança Fala em uma metodologia e fundou o Imagina C – este movimento de conexão com as crianças para ocupar, pensar e transformar as cidades com elas.