DSC02736 (1)

Diário do Quintal – Co-evolução

Nos fundos da casa que habita o Tear, é guardado um espaço de cultivo de si e da terra, onde o encantamento da brincadeira faz brotar universos.

DSC02736 (1)
28/01/2015

As flores se adaptaram juntamente com seus polinizadores, a isso chamamos de co-evolução.
Nelas, encontramos diversas adaptações para receberem todos os tipos de animais, e garantir que seus grãos de pólen sejam levados adiante para concluir seu ciclo.

As adaptações variam de acordo com seu polinizador e as flores podem variar de forma, de cor e cheiro para atrair os animais. As plantas que abrem suas flores de dia costumam ser mais coloridas, pois os animais diurnos enxergam melhor as cores.
Os animais noturnos não enxergam tão bem, por isso as flores noturnas tem cheiro forte,como a paineira e a dama-da-noite.

Na foto uma flor de boldo da terra ou tapete de Oxalá ( Plectranthus barbatus).
Parece um trem de pouso para os insetos, não é?

Observe as flores da orquídea por exemplo, e veja como elas são e que animais as polinizam.
Observe todas que puder! Gosto muito dessa brincadeira!

A polinização é um fenômeno surpreendente

Do órgão reprodutor masculino para o feminino
O grão de pólen segue contente
o seu caminho
Levado pela água ou pelo vento
Pelas forças do movimento
Ou pelos animais
Aves, morcegos, mariposas e besouros
Abelhas, moscas, beija-flor e muitos outros
As flores tem formas tantas
Pra suportar, acolher e resguardar
Roxas, azuis, vermelhas e amarelas
Vão brotando aqui no Tear

Beldroega, o Jardineiro