Sem título

Diário do Quintal – Um não vive sem o outro

Nos fundos da casa que habita o Tear, é guardado um espaço de cultivo de si e da terra, onde o encantamento da brincadeira faz brotar universos.

WP_20151113_027

Um não vive sem o outro

01/01/2016

Cambará quando floresce
Adocicando o ar
Muda o tom da cor que veste
Lá vem o Mangangá

Vermelhas e amarelas
Um buquê a lhe ofertar
Zumbindo alto, fazendo festa
Lá vem o Mangangá

Poliniza devagar
Seu ferrão, ele não usa
Do néctar se lambuza
Lá vem o Mangangá

Com seu voo pesado
Lá vem o Mangangá
Esquecendo a solidão
Quando floresce o Cambará

Cambará de flor miúda
Delicada e resistente
Cai no chão forma tapete
Mangangá, é seu presente!

Cambará nome de planta
Da abelha é Mangangá
Um não vive sem o outro
No quintal lá do Tear

Carlota, a Jabuti