DSC02578

Diário do Quintal – Poesia em estado de menino

Nos fundos da casa que habita o Tear, é guardado um espaço de cultivo de si e da terra, onde o encantamento da brincadeira faz brotar universos.

 

DSC02578

 

16/10/2015

A turma de Artes Integradas da manhã possui um grande afeto e se encanta pelas coisas da terra. A palavra com sua força germinadora, potencializando sentidos, faz brotar uma vegetação densa, enraizada e fértil.

Vegetação de cores, sons, texturas, cheiros, elementos participantes da imaginação poética da criança. É o brinquedo em grau de poesia. A criança em estado fértil de si mesma, recriando com as palavras, outras imagens, outras vidas, outros universos.

Foi com a palavra, que a turma expressou de forma livre sua intimidade com o quintal do Tear. Lendo alguns haikais e poesias da natureza, nos inspiramos e criamos a nossa “Poesia do quintal”.

Na foto, uma página do diário mostra algumas dessas obras poéticas, expressa de maneira livre, com afeto, com gosto! Gosto de jabuticaba, sapoti, caju, carambola, amora, acerola, goiaba, manga…

Poesias do quintal

“Jabuticabeira
boa de subir
cheia de fruto pra comer.”  

“Escalo,
vejo o vizinho
fico nervoso com as formigas”

“O sapoti é bom de subir
mas eu nunca subi
só subi numa árvore
que não tenho medo de cair.”

“Jabuticabeira quando nasce
fica verde, e passa dia
e chega o limite
cai madura e cai no chão.”

“Amoreira
minha inspiração verdadeira”

A turma de Arte Integradas é composta por crianças de 5 a 9 anos. Essas são algumas poesias que foram criadas, nem todas estão aqui registradas.

O Jardineiro Verdolaga